Páginas

Pesquisar no Blog

domingo, 10 de julho de 2011

O Universo - Desastres no Espaço (Discovery Channel)


Um Pouco da História dos Desastres Espaciais

As viagens espaciais podem ser exóticas e heróicas, mas não deixam de ter os seus perigos. Desde que o programa dos voos espaciais tripulados começou, no princípio dos anos 60, ambos os lados na corrida ao espaço tiveram as suas perdas. A primeira pessoa a morrer em resultado de um desastre no espaço foi o cosmonauta soviético Vladimir Komarov, em Abril de 1967, quando o pára-quedas do seu Soyuz 1 falhou na sua entrada na atmosfera. Nesse mesmo ano os americanos perderam três astronautas num teste de uma das primeiras Apollo.

Explosão do Ônibus Espacial Challenger
Os três homens estavam sentados no seu módulo de comando quando se declarou um incêndio, alimentado pela atmosfera de oxigénio puro da cabina. Morreram em poucos segundos em consequência da inalação dos fumos. Mais recentemente, os desastres dos ônibus Espaciais Challenger e Columbia, em 1986 e 2003, respectivamente, continuam na memória de todos.

Em Abril de 1967, um incêndio-relâmpago varreu a cabina do módulo de comando da Apollo 1 quando estava a ser testado na rampa de lançamento com três astronautas no seu interior – Roger Chaffeem, Edward White e Virgil Grissom (da direita para a esquerda). Nenhum sobreviveu.

NO dia 28 de Janeiro de 1986, o mundo assistia pela televisão quando o Ônibus Espacial Challenger explodiu numa enorme bola de fogo amarela e vermelha, apenas 73 segundos depois do lançamento. O desastre provocou a morte dos sete astronautas a bordo. A causa do desastre foi atribuída a um o-ring quebradiço (um anel de compósito, existente para manter o vácuo em determinados compartimentos), que tinha ficado exposto durante um período de frio extremo em cabo Canaveral. Apesar das medidas de segurança entretanto implementadas, em 1995 podia ter-se dado um desastre semelhante, quando se descobriu que o-rings semelhantes tinham sido danificados no Ônibus Espacial Atlantis durante a descolagem. A NASA receou pela segurança do Ônibus Espacial Discovery, em órbita na altura em que isto foi descoberto, mas não houve problemas.

O desastre espacial mais recente ocorreu a 1 de Fevereiro de 2003, quando dos Americanos perderam outro Ônibus Espacial – e com ele mais sete astronautas. Desta vez tratou-se do Columbia, o primeiro Ônibus Espacial a voar, em 1981. Quando o Ônibus Espacial foi lançado, a 16 de Janeiro, os engenheiros comunicaram a NASA que um pedaço de material isolador se soltara do aparelho ao deixar a Terra. Contudo, de acordo com o inquérito oficial ao sucedido, a NASA «não tocou o sinal de alarme». Ao fim de 16 dias de missão, 15 minutos antes do momento previsto para aterragem do Columbia, quando entrava na atmosfera, os espectadores viram-no pura e simplesmente desintegrar-se à frente dos seus olhos, 62 km acima da Terra, deixando atrás um rasto de detritos luminosos. Pensa-se que a camada protectora tenha danificado uma asa ao aterrar, o que fez com que o ar superaquecido tenha penetrado no Ônibus Espacial quando este entrava na atmosfera, com consequências terríveis.

«Houston, estamos com um problema», foram as agora famosas palavras de Jim Lovell, comandante da desafortunada missão Apollo 13 à Lua. Depois da explosão de um tanque de oxigénio, a tripulação teve de construir um filtro de CO, para assegurar que o ar dentro da Apollo continuava respirável. Em seguida, a nave teve de contornar a Lua antes de poder regressar à órbita da Terra. Miraculosamente, os três ocupantes da nave sobreviveram por uma unha negra, devido à imaginação e ao engenho da equipa de terra.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página