Páginas

Pesquisar no Blog

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Homenagem ao povo brasileiro, com muito amor!

"A ignorância é a maior multinacional do mundo". (Paulo Francis)

Eleitor Brasileiro

Viva o povo brasileiro que votou de maneira consciente nesse Domingo (03/10/2010), enfim pessoas preparadas e com um bom histórico para tomar decisões em nome do povo dessa potência Sul-americana que tem um grande papel no cenário global, sem mais delongas e vamos aos dados:

Bric é a sigla que reúne Brasil, Rússia, Índia e China. Foi criada em 2003 pelo banco de investimentos Goldman Sachs, onde O'Neill é chefe de Pesquisa Econômica Global há mais de cinco anos.

Segundo as projeções da instituição, esses quatro países em desenvolvimento vão se transformar em gigantes econômicos, com crescimento do PIB e da renda per capita. Até 2050, devem superar os países do G6 (trata-se do G7 menos o Canadá, ou seja: Estados Unidos, Japão, Reino Unido, Alemanha, França e Itália).

O'Neill sustenta que o crescimento do PIB brasileiro (2,9% em 2006, segundo dados preliminares), considerado baixo, não vai eliminar o Brasil desse grupo seleto. Como comparação, a China cresceu 10,7% no mesmo período, e a Índia prevê alta em torno de 9%. (14/03/2007 - UOL Economia)

A governadora Roseana Sarney foi eleita para um novo mandato no Maranhão no 1º turno, com 50,8% dos votos válidos, segundo o resultado oficial da apuração, divulgado há pouco pelo Tribunal Superior Eleitoral (TSE). Roseana obteve 1.459.792 votos, contra 859.402 (29,4%) de Flávio Dino (PC do B) e 569.412 (19,54%) do ex-governador Jackson Lago, do PDT. 
(Correio Braziliense)


Recordar é viver:

Denúncias de envolvimento do presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), em contratações suspeitas de servidores para os quadros da Casa não param de surgir. Uma nova acusação afirma que Gabriela Aragão Guimarães Mendes, filha do ajudante de ordem de Sarney, Aluísio Mendes Filho, é funcionária fantasma do gabinete do peemedebista.

Segundo reportagem do jornal "O Estado de São Paulo", Gabriela, que é estudante, foi nomeada em 5 de janeiro de 2007 pelo ex-diretor-geral Agaciel Maia e recebe salário, mas não aparece para trabalhar.

O presidente do Senado foi denunciado ao Conselho de Ética da Casa pelo PSDB e pelo PSOL, entre outras acusações, por ter favorecido a nomeação de aliados e familiares por atos secretos. De acordo com o PSOL, 15 pessoas ligadas diretamente ao presidente do Senado teriam sido beneficiadas com os atos, entre eles o que nomeou seu neto João Fernando Sarney para o gabinete do senador Epitácio Cafeteira (PTB-MA).

A situação de Sarney ficou mais delicada depois que foram divulgadas gravações da Polícia Federal que indicaram que Sarney participou diretamente na contratação do ex-namorado de sua neta, nomeado por ato secreto. Trata-se de Henrique Bernardes, que tem cargo com salário de R$ 2.700 na Diretoria Geral, mas dá expediente no serviço médico do Senado. (Folha.com)

O senor e candidato à reeleição Renan Calheiros (PMDB) registra 679.982 votos, ou 33,64% do total válido e é reeleito senador por Alagoas. (G1)

Refrescando a memória:

As denúncias contra o senador são: uso de 'laranjas' na compra de duas emissoras de rádio em Alagoas. As irregularidades vêm a se somar a dois outros caos: o do lobista e o da Schincariol. O primeiro foi o detonador do caso. Renan é acusado de ter despesas pessoais pagas por um lobista da Mendes Júnior e tenta, sem sucesso, provar que tinha rendimentos suficientes para pagar pensão à jornalista Mônica Veloso, com quem tem uma filha fora do casamento. Rendimentos com a venda de gado são o principal argumento de Renan para comprovar que não precisava de recursos do lobista, mas os documentos apresentam irregularidades. Segundo o senador, foram R$ 1,9 milhão em quatro anos. Já a denúncia que envolve a Schincariol consiste na venda superfaturada de uma fábrica da família Calheiros por R$ 27 milhões, quando não valia mais de R$ 10 milhões. Em troca, Renan, conforme a denúncia, teria favorecido a empresa junto ao INSS, impedindo a execução de uma dúvida de R$ 100 milhões. (Veja)




Com 99,99% dos votos apurados no estado de São Paulo, Tiririca (PR) superou o 1,3 milhão de votos e será o candidato a deputado federal mais votado do Brasil. (G1)

Um pouco de história:

Eleito senador (por Rio Grande do Sul e São Paulo) e deputado constituinte (por Rio Grande do Sul, São Paulo, Distrito Federal, Rio de Janeiro, Minas Gerais, Paraná e Bahia), conforme permitia a legislação eleitoral da época, Getúlio Vargas recebeu uma votação consagradora, de cerca de 1.150.000 votos, confirmando a força política do seu nome e contribuindo de forma decisiva para o fortalecimento do PTB. (portalsaofrancisco.com.br - História)

As vezes eu penso em fazer uma campanha para darmos descarga nos cérebros dos brasileiros de uma vez, porque talvez a densidade de merda que tem na cabeça das pessoas seja tão alta que dificulta a fluidez do pensamento.


O que aconteceu para que um analfabeto que está ridicularizando a política no Brasil receba mais votos que Getúlio Vargas?


 Por que não o Brasil? 
O crescimento do PIB dos países do BRICs está em torno dos 10,7% como a China e 9% como a Índia e para mais espantar você leitor, o crescimento de Angola (não está no BRICs) que está em torno de 14% em 2005 e estimam um crescimento de 25% para o ano de 2006, ai eu me pergunto e o Brasil?
Para que nossa economia pudesse ter um bom escoamento deveríamos ter 40% de transporte Ferroviário 40% Hidroviário e 20% Rodoviário, porém concentramos no transporte rodoviário que responde por 65% do total de cargas transportadas no país, e que nós sabemos que o estado das nossas estradas está uma bosta  catástrofe, precisamos do que? precisamos de pessoas que tenham visão para o futuro com responsabilidade de transformar o Brasil na 3ª maior potência do Planeta, trazendo mais igualdade social e qualidade de vida, olhando para o crescimento sustentável e que tenha boas relações com os países da América Latina para um crescimento conjunto, pois somos uma potência regional e responsáveis pela mediação de conflitos e negociações na região, mas isso está longe de ocorrer, o que disse acima é apenas um detalhe (importante) de uma série de coisas que deveriam ser discutidas, mas estamos em um cenário horrível:


E o livro?

O brasileiro lê em média 4,7 livros por ano. O dado, apresentado na manhã de hoje (28), é da pesquisa Retratos da Leitura no Brasil, do Instituo Pró-livro.
De acordo com o levantamento, na Região Sul, a média de leitura anual é maior do que a Nacional, com 5,5 livros. O Norte registrou o menor índice com 3,9 livros por habitante.
A estimativa aumenta de acordo com a escolaridade. Entre os que possuem formação superior é de 8,3 livros por ano, enquanto para quem cursou até a 4ª série a média é de 3,7.
O Instituo Ibope coordenou a coleta dos dados e entrevistou mais de 500 mil pessoas em 313 municípios brasileiros. (Via Agência Brasil)
No mercado mundial de livros, a China tem os números mais impressionantes: 7,1 bilhões de exemplares vendidos por ano (49% da produção mundial). Logo atrás, vêm os EUA, com 2,55 bilhões de exemplares (18%), e o Japão, com 1,4 bilhões (10%). A posição do Brasil chega a 2% do volume de vendas, ou 340 milhões, dado nada insignificante, à frente de três expoentes como Grã-Bretanha (320 milhões), Itália (270 milhões) e Espanha (235 milhões). "Esse dado nos dá uma perspectiva ilusória de sucesso do mercado no livro do Brasil. Mas isso muda quando se olha para os dois maiores mercados. O mercado brasileiro representa 5% do mercado chinês e 13% do mercado americano", afirma Sá Earp. 

Quando está em jogo o valor das vendas, os EUA lideram e o Brasil perde o sétimo lugar. Com US$ 910 milhões anuais (1% das vendas mundiais), está junto da Bélgica (US$ 1,08 bilhão), Holanda (US$ 1,07 bilhão) e Rússia (US$ 860 milhões), basicamente em função da desvalorização cambial dos últimos cinco anos. Pela antiga taxa de câmbio, com o dólar a R$ 1,20, R$ 1,50, o Brasil teria 2%. "É um mercado com um imenso potencial pela quantidade de livros vendidos, mas é um mercado limitado pela pobreza da população e pela concentração de renda", aponta o economista.

É um mercado grande o bastante para absorver 340 milhões de exemplares publicados por ano. Mas seu consumo é relativamente pequeno. "No Brasil, compra-se em torno de dois livros per capita ano, o que é uma pequena fração do que se compra nos principais mercados", informa Sá Earp. No Japão, Taiwan, e EUA, esta média varia entre nove e 11 livros per capita ano. Já na China, Canadá, Espanha e Alemanha consomem-se entre seis e sete livros per capita ano. Na França, Bélgica e Grã-Bretanha, entre quatro e cinco livros. No mesmo patamar que o Brasil, abaixo de três livros per capita ano, estão Rússia, México e Argentina. "Poderíamos pensar como meta para uma política de cinco a dez anos passar destes dois exemplares per capita para quatro. Dobrar o consumo per capita. E é pouco. As vendas de livro no Brasil são de, em média, US$ 5 por habitante/ano. A nossa meta, para acompanhar o padrão europeu, teria que decuplicar, passar a US$ 50 por habitante/ano", completa Earp. (Portal Literal - Terra)
Comédia Eleitoral (ou Brasil piada)

Sem comentários

E agora o que faremos se nosso povo é tão alienado e ignorante?

"...Por isso na impaciência 
Desta sede de saber, 
Como as aves do deserto 
As almas buscam beber... 
Oh! Bendito o que semeia 
Livros... livros à mão cheia... 
E manda o povo pensar! 
O livro caindo n'alma 
É germe — que faz a palma, 
É chuva — que faz o mar."

(O Livro e a América - Castro Alves)

Fica aqui o meu lamento, porém sempre guardo comigo esperança, creio que temos como mudar, mas somente com a mobilização da Sociedade Civil e do 3º Setor, que Deus nos ajude.

Paz e Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página