Páginas

Pesquisar no Blog

terça-feira, 7 de setembro de 2010

O Mito da Caverna (Sócrates) Contido no livro VII da República de Platão.



Adaptação de Maurício de Souza chamado "As sombras da vida"

Escrito antes mesmo de Cristo, porém contemplando todos os vícios populares inundados pela doxa (Opinião, crença popular) de que tudo que se passa na telinha é verdade absoluta, que é tão absoluta como a sustentação de um prego na areia. Cabe aos pensadores trazer esse espírito crítico a população, devemos enxergar os bastidores da vida cotidiana desse mundo teatro, para podermos deslumbrar a episteme (Verdadeiro conhecimento) desse oceano da vida que no seu âmago é imutável porém em suas margens onde se encontram os pensadores ela é tão mutável e inconstante mas cheia de maravilhas, e cabe a nós termos o espírito tomado pelo afã da verdade absoluta, pois esse é o caminho e o sentido da vida, A VERDADE.
O Homem des de quando saiu das cavernas buscou explicar os fenômenos da natureza, usou sua imaginação primeiramente, e dentro do seu espírito sempre desconfiu da existência de um ser inteligente que governava o cosmos (palavra que provém dos gregos onde cosmo significava a harmonia do universo) e decide o destino de cada ser terrestre, contudo esse afã que tinhamos pela verdade foi se perdendo e nós mesmos começamos a nos enganar, tudo por conta da vontade de poder "Onde eu ver um ser humano verei vontade de poder" (Nietzsche) e graças a essa vontade, humanos com mais conhecimento emulam conhecimento aos menos favorecidos e assim por séculos e séculos, trazendo consigo uma série de problemas: Sociais, ambientais, culturais, espirituais e econômicos. Como fazer com que se libertem? Aliás esse conceito de liberdade é extremamente relativa, pois Sartre dizia que estávamos condenados eternamente a termos liberdade pois se estamos sendo manipulados e alienados é por vontade própria em ser escravo porque nós somos idiotas (termo usado para pessoas que não gostavam de política em Atenas) e aceitamos estar aqui, porque aqui é "quentinho" e "seguro" tenho minha rotina e minhas coisas, e para que servem suas coisas? Apenas pra te prender ainda mais, como diria o grande Diógenes que ao receber a proposta de Alexandre o Grande o poder de pedir o que quisesse que ganharia na hora ele respondeu "saia da frente do meu sol, só isso que quero".
O Humano não foi feito para ficar parado como gado esperando o abate, o humano tem dentro de si algo que não consegue explicar, algo que borbulha e quer explodir, por isso temos tantos casos de suicídio e de violência, o humano está louco pois está preso na pior prisão que pode existir, a prisão da mente, por isso se sente tão sozinho mesmo vivendo num mundo de 6 bilhões de pessoas aproximadamente.

Espero que essa pequena tirinha do Maurício de Souza possa abrir a mente de muitos.

Paz e Luz

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Total de visualizações de página